Vamos descomplicar o Grego!

Já me perguntei várias vezes o porquê de as pessoas desistirem de aprender o Grego Bíblico ou mesmo nem começarem a estudá-lo. Já percebi que há, pelo menos, três razões para isso.

Razão 1 – É difícil demais!

A razão é a seguinte: achar Grego Bíblico é tão difícil, mas tão difícil, que somente uma casta superior de pessoas é capaz de se aventurar na língua em que o Novo Testamento foi escrito. Quaisquer outros meros mortais que ousarem aprender essa língua acabarão frustrados e desistirão. Afinal, o Grego “não é pra todo mundo”. Para afirmar essa exclusividade, até usamos a expressão “isso pra mim é Grego” para dizer que não entendemos nada.

Razão 2 – Não sei Português!

Essa segunda razão está muito ligada com a deficiência no aprendizado do Português nas escolas. Quando o aluno passa a estudar o Grego, se vê novamente diante de categorias gramaticais que ele mesmo nunca conseguiu aprender. Sujeito, predicativo do sujeito, objeto direto, etc. Tais termos são comuns quando estudamos o Grego.

Contudo, já que ele não aprendeu bem nem mesmo quando os exemplos para tais categorias eram apresentados em Português, retenção desses conceitos se dará com ainda mais dificuldade. O resultado é provavelmente a desistência. Ele dirá: “Preciso primeiro aprender Português.” Sabemos, porém, que ninguém tira um dia da vida pra dizer “Hoje vou aprender Português”, toma uma gramática e estuda durante 2 horas. Eu mesmo nunca fiz isso, a não ser quando tinha prova de Português no dia seguinte, no Ensino Médio. Enfim, você já entendeu. Esse aluno não vai voltar a estudar o Grego.

Razão 3 – Não consigo acompanhar!

Essa razão é clássica (esse trocadilho saiu sem querer, pois o Grego é considerado uma língua clássica =D). Trocadilhos infames à parte, já vi vários alunos desistindo do Grego porque dizem que não conseguem acompanhar o conteúdo passado. E eu não os culpo por isso. A língua original do Novo Testamento requer, por sua gramática e por seu vocabulário, uma atenção maior por parte do aluno. Isso precisa de tempo para ser sedimentado. Mas a “correria” do semestre não deixa. O conteúdo precisa ser coberto a qualquer custo.

O problema é que esse custo é muito alto. De repente, o semestre está acabando e o aluno ainda não sabe a função do dativo (que é um dos conceitos primeiramente ensinados no Grego). Como professor, olho pra ele e me dá um grande desânimo. Eu poderia me eximir da culpa e dizer que é porque ele não estudou. Mas, no fundo, sei que deveria ter sido dado mais tempo ou, pelo menos, deveria haver uma metodologia para esse aluno poder acompanhar melhor a disciplina.

E agora?

Não queria acabar esse post de modo pessimista. Então, vou dar uma notícia boa pelo menos. No próximo post, vou dizer como é possível superar essas e até outras barreiras que nos impedem de ler a revelação do Novo Testamento em sua forma original. Deixo abaixo um vídeo em que falo dessas três razões mostradas acima. Até a próxima!

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *